• frcb@rosacruzdobrasil.org.br

O que é o Templarismo?

uploads/templarismo.jpg

Os Cavaleiros do Templo, ou Templários, eram uma ordem religiosa fundada na França em 1118,que se destinava a combater a cegueira religiosa.

Embora pelejando e combatendo os infiéis, era uma maneira de expandir a verdade naquela época onde a religião se tornava necessária.

Os Templários tinham uma disciplina rigorosa e somente os fortes e destemidos eram aceitos como cavaleiros.

Não é nosso intento historiar essa Ordem, mas os brasileiros devem muito ao desenvolvimento que se processou nos Templários portugueses,quando a Ordem foi espoliada e destruída pelo ganancioso rei de França, Felipe IV, o Belo, que acabou mandando para a fogueira o Venerável Grão-Mestre Jean Jacques de Molay.

A cidade portuguesa de Tomar ainda possui o Castelo dos Templários, bem como o Convento do Cristo, onde os mesmos eram submetidos ao tratamento rigoroso de uma disciplina ritual que a Fraternidade Rosa-Cruz do Brasil também mantém. Nessa cidade o Infante Dom Henrique estudou e preparou os futuros marinheiros portugueses que desbravaram os mares nunca navegados e que culminou nas descobertas do Caminho Marítimo para a Índia, por Vasco da Gama e do Brasil, por Pedro Álvares Cabral, comemorada este mês.

O Templo, onde os Templários adoravam a Divindade, era denominado “a Charola”, se desenhava numa coluna octogonal, onde, frente à entrada, do lado de uma das faces do octógono, destacava-se um anjo mostrando, numa bandeja, a cabeça de João Batista, e o lado direito um anjo com o sudário mostrando o retrato do Divino Mestre Jesus de Nazareth. É uma simbologia, que é bem conhecida dos Iniciados Rosa-Cruzes.

Atualmente, todo o filiado à Fraternidade Rosa-Cruz do Brasil é um Templário, pois os preceitos que mantiveram milhares de anos este Templarismo continuam se mantendo atualmente nesta Ordem, embora mais apropriados às condições conscientes do século XXI.

A humanidade de agora vive numa circunstância muito variada, onde o bem é superado pelo mal, em virtude das condições propícias ao desenvolvimento do conhecimento esotérico, que vai destruindo, paulatinamente, todo o intelectualismo materialista e poderoso.

Quem desejar penetrar no conhecimento verdadeiro da Sabedoria Divina terá de enfrentaras dificuldades cotidianas e pesquisar muito sobre religião.

Qualquer delas tem as condições para se chegar à verdade, desde que a pessoa não se fanatize.

Não transforme a religião num campo de batalha, nem num argumento indestrutível.

Todo o conhecimento religioso deve ser aceito como uma base para voos mais altos, desde que a pessoa sinta intimamente o desejo de se aperfeiçoar.

Comentários ()