• frcb@rosacruzdobrasil.org.br

Apóstolos

Os apóstolos foram homens judeus que teriam sido “enviados” (significado da palavra em grego) pelo Divino Mestre Jesus de Nazareth para pregar o Evangelho, inicialmente apenas aos judeus e depois também aos gentios (povos não-israelitas), em todo o mundo. Segundo Lucas 6.13, “Ele chamou para si os seus discípulos, e deles escolheu doze, a quem chamou de apóstolos.” Discípulo é aquele que segue o Mestre em suas idéias, atitudes, posições ideológicas e determinações existenciais.

O cristianismo, ao contrário do judaísmo, de onde tem origem, tem por intenção missionar o maior número possível de pessoas. O judaísmo é uma religião que se caracteriza por um conjunto de regras de comportamento, algumas das quais são vistas como pouco convenientes para a sua aceitação pelos outros povos. Tanto a religião judaica como a cristã eram monoteístas, enquanto os romanos eram politeístas.

Os judeus mantiveram as suas tradições religiosas, os cristãos, inicialmente uma pequena seita do judaísmo, dispuseram-se a acabar com essas tradições para, em contrapartida, se tornarem aceitos pelos gentios. Os apóstolos tiveram, neste contexto, um papel fundamental. O sucesso da estratégia incutida ao cristianismo pelos apóstolos é evidente. Enquanto que o judaísmo permaneceu uma religião monoteísta transmitida de geração em geração ao seu povo original, o cristianismo foi adotado por outros povos.

O Novo Testamento só registra a passagem para outros planos de um dos apóstolos: Tiago, filho de Zebedeu, que foi executado por Herodes pelo ano 44 d.C. (Atos 12.2). Judas Iscariotes, que traiu o Divino Mestre Jesus de Nazareth, fazia parte dos 12, mas perdeu sua designação de apóstolo após trair o Mestre, e foi se enforcar, mas não teve êxito, deixando este plano de outra forma (existem várias versões). Informações acerca dos apóstolos são abundantes, e nem sempre meritórias de crédito. Mas é seguro dizer que foram bem longe e em muitas direções, como anunciadores da “Boa Nova”.

Eis a relação completa dos Apóstolos:

  1. Pedro (Simão Pedro) – Foi mártir na cidade de Roma em cerca de 64 d.C., durante a perseguição do imperador Nero. Pedro foi crucificado de cabeça para baixo, a seu próprio pedido, por não se sentir de valor suficiente para deixar este plano da mesma forma que o Divino Mestre.
  2. André – Foi para a “terra dos canibais”, que hoje são os países que compuseram a ex-União Soviética. Os cristãos daquela região atestam que foi o primeiro a levar o Evangelho para lá. Também pregou na Ásia Menor, hoje conhecida como Turquia, e na Grécia, onde se diz ter sido crucificado em uma cruz em forma de “X”. É considerado o fundador da igreja em Bizâncio (Constantinopla, atualmente, Istambul), motivo pelo qual é considerado o “Primeiro Patriarca de Constantinopla”.
  3. Tomé – Foi provavelmente o mais ativo dos apóstolos ao leste da Síria. Uma tradição informa que pregou até na Índia, onde provavelmente deixou este plano pelas lanças de quatro soldados.
  4. Filipe – Possivelmente teve um trabalho muito forte no Norte da África e na Ásia Menor, onde a mulher de um pró-cônsul romano se converteu. Em retaliação, esse político mandou prendê-lo e executá-lo com muita crueldade.
  5. Mateus – Coletor de impostos e escritor de um dos Evangelhos, ministrou na Pérsia (atual Irã) e na Etiópia. Um dos mais antigos comentários diz que não foi martirizado, enquanto outros asseguram que foi apunhalado no coração na Etiópia.
  6. Bartolomeu – Fez viagens missionárias para muitas partes. Porém tal informação é passada através de uma tradição. Teria ido a Índia com Tomé, voltou à Armênia, e foi também à Etiópia e ao sul da Arábia. Existem várias versões de como teria sido executado nas proximidades da atual Turquia.
  7. Tiago, filho de Zebedeu, dito Tiago Maior – Um dos primeiros discípulos do Divino Mestre, fez viagens missionárias pelo Mediterrâneo.
  8. Tiago, filho de Alfeu, dito Tiago Menor – É um dos pelo menos três outros “Tiagos” assinalados no Novo Testamento. Existe alguma confusão sobre quem seria quem, mas este Tiago é considerado como sendo o que pregou na Síria.
  9. Simão, o Zelote – Teria pregado na Pérsia (atual Irã) e executado depois de negar um deus local.
  10. Judas Tadeu ou Lebeu – Um dos três Judas relacionados com a missão do Divino Mestre Jesus de Nazareth, foi chamado para ser um dos doze, não podendo ser confundido com o traidor Judas Iscariotes. Diz a tradição que se dedicou à pregação do Evangelho na Judéia, Samaria, Mesopotâmia (hoje região do Iraque) e na Pérsia, aonde viria a ser martirizado a machadadas pelas autoridades persas e pela multidão instigada por sacerdotes zoroastristas juntamente com Simão, o Zelote.
  11. João (Evangelista) – É o único dos apóstolos que passou para os outros planos em idade avançada, de forma natural. Era o líder da Igreja na região da cidade de Éfeso, provavelmente ficou com Maria, a mãe do Mestre, em sua casa, de quem cuidou com muita dedicação. Durante a perseguição do imperador romano Domiciano, pelo meio da década de 90 d.C., foi exilado na Ilha de Pátmos. Ali, segundo se acredita, teria escrito o último livro do Novo Testamento: o Apocalipse (que, em grego, significa revelação).
  12. Judas Iscariotes – Foi substituído por Matias. Este, por sua vez, seguiu com André.