• frcb@rosacruzdobrasil.org.br

Júlio Guajará Rodrigues Ferreira

O terceiro Venerável Grão-Mestre da Fraternidade Rosa-Cruz do Brasil e responsável por abrir as portas da obra ao público foi o Professor Júlio Guajará Rodrigues Ferreira, que nasceu em 29 de outubro de 1902, em Belém do Pará. Foi casado com Maria Rodrigues Ferreira e teve duas filhas Letícia e Dóris. Em 1924, com apenas 22 anos, publicou o livro “Os Mistérios da Alma” e o poema “Além da Montanha do Oeste”.

O nosso Mestre e instituidor passou toda a adolescência na Europa, precisamente na França, Portugal e Inglaterra, obtendo o título de “Professor” na Universidade Britânica, em Londres.

Em 1927, foi presidente da Ordem Mística do Pensamento, que funcionava na rua do Mercado, nº.14, 2º andar, Praça XV, no Centro do Rio de Janeiro. Conduziu desta instituição para Nossa Amada Ordem vários Irmãos, dentre eles Waldemar José Pacheco, que, anos mais tarde, foi dirigente e Venerável Grão-Mestre.

O Professor Júlio Guajará Rodrigues Ferreira fazia horóscopos e mapas astrais que eram publicados no jornal “A Noite”. Foi redator-chefe da revista “A Mente”. Discursava em pé, sobre um banquinho, em praças públicas no Rio de Janeiro divulgando a doutrina rosa-cruz. Entre 1925 e 1926, fundou o Instituto Teosófico Rosa-Cruz, que funcionou, primeiramente, na Rua do Riachuelo, nº.95, transferindo-se posteriormente para Rua São Carlos, nº. 125, no Estácio.

Em 1928, passou a ser instrutor secreto da Ordem Mística do Pensamento e membro da Sociedade Teosófica Rosa-Cruz. Neste período realizou várias palestras e publicou muitos artigos de assuntos espirituais em jornais do Rio de Janeiro (A Gazeta de Notícias, Jornal do Comércio, Diário da Noite, Jornal do Brasil e O Jornal).

Em 1932, foi editado o jornal “O Cartel”, primeiro órgão oficial de divulgação. O “Jornal do Templo” foi fundado em fevereiro de 1946, sendo publicado até setembro de 2005, quando passou a ser chamado “O Templário”.

A Fraternidade Rosa-Cruz do Brasil, no início, tinha cultos em vários endereços, mas acabou por se fixar num prédio alugado na Rua Barão de Itapagipe, nº 68, no Rio Comprido. A primeira reunião da Congregação no atual prédio próprio (Templo de São João) foi realizada em 10 de junho de 1951, com uma frequência superior a 200 irmãos, sob a direção de Panfili Guerino.

Júlio Guajará Rodrigues Ferreira conhecia com profundidade antroposofia, alquimia, psicologia, física, astrologia e outras ciências, e falava e traduzia inglês, francês, árabe, sânscrito e aramaico. Trabalhou no Colégio D. Pedro II. Passou para outros planos em 28 de janeiro de 1944.